FAO espera triplicar produção agrícola de 11 distritos de Moçambique

A FAO prevê triplicar a produção agrícola em 11 distritos de Moçambique, com a disponibilização de insumos e sementes de qualidade, e tirar 19.600 camponeses do ciclo de pobreza e insegurança alimentar, informou à Lusa fonte da organização.

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) disponibilizou 300 toneladas de sementes classificadas, para responder às diferentes características agroecológicas das províncias de Manica, Sofala e Zambézia (centro) e Nampula (norte), vendidas de forma bonificada aos camponeses, numa iniciativa financiada pela União Europeia.

PUB

Em declarações hoje à Lusa, Walter Oliveira, coordenador da FAO em Moçambique para o indicador da redução da fome nos Objetivos de Desenvolvimento do Milénio, disse que a baixa qualidade de produção no país se deve particularmente à falta de acesso a semente e insumos de qualidade, aliada à fraca educação agrária dos camponeses.

"Com o novo sistema, estamos em 11 distritos e temos uma previsão de multiplicar por três a produção, em termos de rendimento por hectare", afirmou Walter Oliveira, durante o lançamento oficial no país do "voucher eletrónico", o cartão que facilita o acesso às sementes.

A FAO lançou hoje em Munhinga, distrito de Sussundenga, em Manica o "voucher eletrónico" em Moçambique - um projeto-piloto que disponibiliza dois grupos de cartões para apoiar os camponeses no acesso a sementes de qualidade, através de vendedores de insumos, e assim melhorar o controlo da produção.

O lançamento coincidiu com as chuvas que deram início à sementeira da agricultura de sequeiro, praticada por quase 90% dos camponeses em Moçambique.

"Se a iniciativa for levada para todos os distritos do país, como estamos à espera, o aumento de produtividade vai ser muito grande em Moçambique", declarou Walter Oliveira,

Por sua vez, Marcelo Chaquisse, diretor nacional adjunto do serviço Agrário no Ministério da Agricultura e Segurança Alimentar, disse que as semente chegavam tarde aos camponeses quando o Governo procedia à sua distribuição direta, classificando o "voucher eletrónico" como o mecanismo sustentável de provisão de sementes e insumos.

Inspirado no sucesso no programa de proteção social e combate à fome e pobreza do Brasil "Bolsa Família", o "voucher eletrónico" vai permitir agregar a canalização de ajuda do Governo, da FAO e de outras organizações parceiras para os camponeses beneficiários.

O cartão eletrônico e o sistema operacional foram desenvolvidos por uma firma japonesa e em Moçambique esta a ser gerido por técnicos nipónicos da empresa Agronegócios para Desenvolvimento de Moçambique (ADM).

Fonte

Noticiasominuto

Exibições: 43

Comentar

Você precisa ser um membro de AgroRede para adicionar comentários!

Entrar em AgroRede

© 2018   Criado por Soc. Mineira de Eng. Agrônomos.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço