Segue texto com algumas constatações alarmantes:

(1) quase 80% dos alimentos está impróprio para uso (leia o apêndice II do arquivo anexo para entender);

(2) quase 65% dos usuários de agrotóxicos são analfabetos ou analfabetos funcionais (leia o apêndice I do arquivo anexo para entender);

(3) os sistemas informatizados de receitas agronômicas são elaborados para satisfazer unicamente a legislação, para legalizar a venda de agrotóxicos, e não para satisfazer ambas funções da receita: PRESCRIÇÃO e ORIENTAÇÃO TÉCNICA (leia o item a da Proposta 1 do arquivo anexo para entender).

A continuar assim - e eu sei que já existe pressão para derrubar o parágrafo único do art. 66 do Decreto Federal nº 4.074/2002 (leia-o no Anexo 1 do arquivo anexo para entender o porquê) - em algum momento alguém vai ter a brilhante ideia de propor lei cancelando a necessidade da receita agronômica, é uma questão de tempo. Ou resgatamos, nós da classe agronômica, a verdadeira função técnica da receita agronômica, ou corremos sério risco de enfraquecimento (mais, né?) da própria classe (leia a Proposta 1 e sobretudo o Apêndice IV do arquivo anexo).

Boa leitura.

Exibições: 73

Anexos

© 2020   Criado por Soc. Mineira de Eng. Agrônomos.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço