Levantamento do Núcleo Brasileiro de Estágios (Nube) mostrou que os estagiários do curso de agronomia receberam a melhor bolsa-auxílio no país em 2013, com até R$ 1.948,94. De acordo com a Pesquisa Nacional de Bolsa-Auxílio 2013, a remuneração média nacional para os aspirantes a profissionais dessa área foi de R$ 859,45, o que representa um aumento de 11,2% em relação a 2012.

Entre os cursos com as melhores remunerações estão: economia, física, ciências atuariais, marketing, ciência e tecnologia, engenharia, entre outros. Em análise por sexo, os homens receberam R$ 915,21, aumento de 11% comparado ao ano anterior. As mulheres ganharam R$ 819,63, crescimento de 11,7%.

"A variação não é gerada por preconceitos ou competências desiguais, mas, sim, pelo fato de existirem mais homens no campo de exatas, uma da áreas mais bem remuneradas", afirma Seme Arone Junior, presidente do Nube.

Estudantes de nível superior receberam, em média, R$ 964,81 (antes o valor era de R$ 879,14). Para nível superior tecnólogo, a bolsa-auxílio passou de R$ 821,78 em 2012 para R$ 884 em 2013. Para o nível médio/técnico, a remuneração chegou a R$ 670,69 (antes era de R$ 623,35). Os estudantes de ensino médio passaram a receber R$ 513,73 (em 2012, o valor era de R$ 486,94).

A pesquisa também mostrou que a remuneração muda de acordo com a faixa etária: jovens entre 19 e 23 anos ganharam, em média, R$ 961,35, enquanto quem tinha de 24 a 29 anos recebeu R$ 985,52.

De acordo com a Associação Brasileira de Estágios (Abres), o Brasil tem 1 milhão de estagiários, apesar de existirem 9,3 milhões de estudantes no ensino médio e 7 milhões no ensino superior. Segundo o Nube, mesmo com o aumento da remuneração ainda existem poucas vagas em relação ao número de candidatos.

"O estágio é a principal ferramenta para quem busca inserção no mundo corporativo e, após as mudanças (lei 11.788/2008), as empresas ganharam inclusive mais segurança na contratação. Resta investirem mais na formação de seu futuro quadro de colaboradores”, ressalta Carlos Henrique Mencaci, presidente da Abres.

O estudo foi realizado entre os dias 14 de outubro e 25 de novembro e envolveu 23 mil estagiários de diferentes níveis.

Veja a lista dos cursos mais bem pagos no Brasil, separados por nível:

Nível superior - média: R$ 964,81
1) Agronomia - R$ 1.948,94
2) Economia - R$ 1.370,26
3) Física - R$ 1.360,83
4) Ciências atuariais - R$ 1.281,44
5) Marketing - R$ 1.278,25
6) Ciência e tecnologia - R$ 1.218,46
7) Engenharia - R$ 1.211,26
8) Estatística - R$ 1.182,26
9) Química - R$ 1.147,82
10) Relações internacionais - R$ 1.128,74

Nível superior tecnológico - média: R$ 884,00
1) Construção civil - R$ 1.240,65
2) Secretariado R$ 1.112,78
3) Polímeros - plásticos - R$ 1.071,86
4) Gestão de comércio exterior - R$ 979,30
5) Banco de dados - R$ 955,81
6) Análise e desenvolvimento de sistemas - R$ 947,90
7) Jogos digitais - R$ 937,83
8) Gestão da qualidade - R$ 933,28
9) Processos gerenciais - R$ 922,19
10) Redes de computadores - R$ 911,90

Ensino médio-técnico - média: R$ 670,69
1) Eletrotécnica - R$ 817,50
2) Segurança do trabalho - R$ 815,44
3) Automação industrial - R$ 812,37
4) Construção civil - R$ 804,98
5) Edificações - R$ 779,75
6) Química - R$ 768,77
7) Mecatrônica - R$ 750,01
8) Mecânica - R$ 748,21
9) Eletromecânica - R$ 718,00
10) Eletroeletrônica - R$ 702,00

Fonte

G1

Exibições: 28

Responder esta

© 2017   Criado por Soc. Mineira de Eng. Agrônomos.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço